Eu Sofria Com a Síndrome do Fantástico

mudança de carreira

Você conhece a Síndrome do Fantástico? Pois é…eu sofria muito com ela…e não sabia que não estava sozinho. Na verdade, quase 80% das pessoas estavam nessa junto comigo. Era assim:

Chegava o domingo a noite, acabava o Faustão e começava aquela musiquinha do Fantástico….na mesma hora eu começava a me sentir  incomodado, com uma sensação estranha na boca do estômago, um desânimo….e logo pensava:

“P#$%$#@ o fim de semana já terminou, amanhã já é segunda-feira e eu tenho que ir trabalhar.”

Reconheceu o padrão? Talvez, hoje, você se sinta assim.

Claro que a música em si não tinha muito a ver…o que eu tinha que prestar atenção era na intensidade do sentimento que ela me despertava. Era um sinal de que eu precisava mudar alguma coisa no meu trabalho.

Só que depois de 10 anos construindo uma carreira, com um bom salário, benefícios e estabilidade (ainda que ilusória) no trabalho, ainda assim, eu não era feliz….

”Como assim, você não é feliz?”

Meus amigos me perguntavam…eles não entendiam que, mesmo eu tendo um trabalho “perfeito”, eu não sentia prazer naquilo. Só muito tempo depois, quando me tornei Coach de Carreira e estudei a fundo a origem dessas insatisfações foi que eu entendi.

Você já parou para pensar que somos “treinados” a acreditar que trabalho é obrigação e que diversão é somente para as horas vagas? Na escola nos ensinam:

“Você não pode se divertir enquanto aprende. Você só pode se divertir no recreio.”

Como assim? Já foi mais do que comprovado que o processo de aprendizagem é mais eficiente quando vem atrelado ao divertimento…

É nesse momento, que, ainda inconscientemente, começamos a encarar o trabalho como sacrifício. Que só podemos nos divertir nas horas vagas. Que, no fundo, só vamos fazer o que gostamos e viver plenamente nos finais de semana e nas férias.

A consequência: você vai sendo programado pra não gostar do seu trabalho. Pra adorar a sexta- feira.

sexta feira

Se você pensa como eu pensava antes, muito provavelmente, acredita que trabalhar fazendo o que ama é apenas um sonho, algo muito difícil de realizar, ou que é privilégio de um grupo seleto de pessoas que conseguiram encontrar trabalhos baseados em suas paixões.

Só que, hoje, aumenta cada vez mais a parcela de profissionais insatisfeitos ou frustrados que buscam uma outra carreira baseada em paixão, realização e contribuição.

E muitas dessas pessoas comuns, como eu e você, já conseguiram realizar essas mudanças e estão construindo carreiras de sucesso, com equilíbrio pessoal e profissional, retorno financeiro, reconhecimento, enfim, coisas que as deixam plenamente realizadas.

E aí, você pode se perguntar: Mas como elas conseguiram?

E aqui eu tenho uma dica para você: o primeiro passo para a mudança é você identificar, especificamente, o que está faltando hoje em sua vida profissional. O que, exatamente, na sua carreira, está gerando essa infelicidade?

A partir daí, você vai descobrir o que deve procurar para sanar esse sentimento. Essa também será a sua principal MOTIVAÇÃO para mudar. Se preferir, escreva em um papel tudo o que você descobrir, pois isso torna mais tangível esse processo de autoconhecimento profissional.

Gostou deste artigo? Então compartilhe-o nas redes sociais e fique atento para não perder nossos próximos conteúdos.

________________________________________

Se Você precisa reavaliar sua carreira ou se deseja trabalhar em algo completamente diferente do que faz hoje, mas está se sentido perdido, sem saber como planejar essa mudança, sugiro que você conheça o meu programa Sua Próxima Carreira.

Clique AQUI para saber como ele funciona.

________________________________________

Coach Eduardo Corrêa

Master Coach de Carreira pelo Instituto MS de Coaching de Carreira. Personal and Professional Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, formação certificada internacionalmente pelo BCI. Practitioner em Programação Neurolinguística pelo INAp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *